https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

A prefeitura de Itajaí acatou uma recomendação do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) sobre o polêmico tratamento de ozonioterapia para pacientes de Covid-19, com aplicação retal. O prefeito Volnei Morastoni se comprometeu a não iniciar as aplicações experimentais até que haja autorização expressa da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), e também a não fazer mais propaganda sobre a suposta eficácia do tratamento, que não tem comprovação científica.

Anunciante do CNT

As duas recomendações foram feitas pelo promotor Maury Viviani, da 13ª Promotoria de de Justiça de Itajaí. No documento, ele alertou o prefeito de que não atender aos pedidos sujeitaria Morastoni a uma ação civil pública.

Anunciante do CNT

No ofício enviado nesta quarta-feira (12) pelo prefeito ao MPSC, ele diz que enviará à promotoria a autorização expressa do Conep para o início dos testes, e que não divulgará o tratamento até que tenha em mãos os resultados da pesquisa experimental.

Anunciante do CNT

A técnica, que não tem comprovação de eficácia, levou o prefeito de Itajaí a virar assunto mundial. A aplicação de ozônio é a terceira medida “alternativa” adotada pela prefeitura no combate ao novo coronavírus. O prefeito, que é médico homeopata, já distribuiu doses de cânfora, com a promessa de melhorar a imunidade da população, e de ivermectina, vermífugo anunciado como medicação preventiva, que não foi testado em animais nem em humanos para combater o novo coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui