https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

Certa vez realizei uma dinâmica durante uma de minhas falas com o grupo que reúno semanalmente. Para isso, antes de realizá-la, dei uma nota de cem reais a um dos participantes e o instruí para me devolver quando pedisse.
Minha intenção era demonstrar na prática uma das maiores lições que o túmulo pode nos oferecer.

Anunciante do CNT


Então, no meio de minha fala perguntei quem teria cem reais para me dar. Assim mesmo, à queima roupa! Enquanto todos me olhavam com certa perplexidade, o rapaz a quem tinha dado a nota de cem, prontamente se levantou e me entregou que havia solicitado.
Pegando a “garoupa”, perguntei aos ouvintes porque foi tão fácil para o moço me dar aquela nota de cem reais. A maioria simplesmente atribuiu o ato à generosidade dele.
Depois de ter revelado que a nota já era minha, todos entenderam rápido aquela entrega tão espontânea. Não que a generosidade não conte, mas existe algo que vem antes dela: a concepção de que nada nos pertence!

Anunciante do CNT


Isso mesmo! Para o jovem foi muito fácil me dar uma nota de cem porque a concepção dele era: se não é minha, não tenho dificuldade de entregar.
Assim também é na vida, o túmulo prova que nessa terra, nada realmente é nosso.
Se assim é, que sejamos mais generosos com o outro, de maneira que nossa breve passada pelo planeta azul seja pautada por uma vida de compartilhamento.

Anunciante do CNT


Ronei Guimarães (Humanidade)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui