https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

Uma mensagem escrita “ O Bullying só acaba quando levam armas para a escola-03/05/22″, encontrada no banheiro masculino do colégio EEB Henrique Fontes, situado no bairro Humaitá, em Tubarão, tem assustado pais e alunos. Apesar da ameaça, a diretoria acredita se tratar de uma brincadeira de mau gosto cometida por algum aluno do ensino fundamental.

Anunciante do CNT

De acordo com o diretor geral da instituição de ensino, Gelson Espanhol Maximiano, o bilhete foi encontrado pelo monitor militar Madureira, por volta das 14h24, enquanto realizava a conferência do local pós-recreio. “Assim que tivemos conhecimento, nós fomos até o banheiro e apagamos a mensagem”, disse o gestor ao Portal CNT Tubarão.

Anunciante do CNT

Mesmo assim, foi feito um boletim de ocorrência na Polícia Militar que comunicou que fará rondas nas proximidades da escola estadual na próxima terça-feira (3) para garantir a segurança.

Anunciante do CNT

Entretanto, o assunto só ganhou repercussão durante o final de semana, quando fotos do suposto aviso viralizaram nas redes sociais. Com isso, pais e responsáveis estão com receio de mandar os filhos para a aula, com medo do que pode vir a acontecer.

“Já registramos um boletim de ocorrência e intensificamos a fiscalização na escola. Temos 15 militares da reserva, que são altamente preparados, supervisionando nossos estudantes. Está tudo sob controle e não há motivos para preocupação e pânico”, acalma Gelson.

As aulas no colégio prosseguem normalmente, segundo a diretoria. A mensagem, cuja autoria ainda é desconhecida, remete a uma possível represália que estaria sendo planejada para a semana seguinte, no dia 2, já que o texto foi encontrado na quinta-feira dia 28.

De imediato, a Polícia Militar foi acionada e o comandante, o Major Wilson, falou sobre o caso. “Queremos tranquilizar a nossa população, pois todas as medidas já foram tomadas. A PM esteve presente no colégio, conversou com a direção e nenhuma das profissionais que trabalha na unidade escolar identificou adolescentes ou pessoas que trabalham lá ou que estudam naquela localidade que tenham perfil para realizar algo do tipo”.

Apesar de considerar que o caso seja oriundo de uma brincadeira, o Major Wilson orientou que a diretoria registre boletim de ocorrência de Polícia Civil para identificação da autoria da mensagem. “Tudo leva a crer que quem fez foram adolescentes. Vamos palestrar também sobre essas situações que vem ocorrendo no Brasil. A Polícia Militar vai se fazer presente e os pais podem encaminhar os seus filhos para a escola tranquilamente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui