https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

“Eu implorei para que ela e minha neta voltassem a morar comigo, mas ela me falou que se isso acontecesse ele viria atrás e me mataria. Disse que antes fosse ela do que eu”, lembra Maria Arlete Tenfen, mãe da jovem Ariane Isabel Tenfen Mendes, de 21 anos, que foi morta a facadas pelo ex-companheiro, 35. O crime ocorreu na tarde do último sábado (7), em Águas Frias, Oeste de Santa Catarina. A jovem morreu na frente da filha de apenas 3 anos.

Anunciante do CNT

Segundo a mãe, Ariane estava separada há cerca de três meses, mas há cinco anos mantinha um relacionamento com o ex-companheiro, com quem teve uma filha de três anos.

Anunciante do CNT

A mãe conta que a filha era uma menina amável, calma, tranquila e querida por todos. “Ele deformou minha filha, estrangulou, quebrou os dentes, a mão e o nariz, além de ter dado três facadas. Ainda não consigo acreditar que isso aconteceu com ela”, lamenta.

Anunciante do CNT

Ameaças eram frequentes

A jovem havia solicitado uma medida protetiva contra o homem e, de acordo com a mãe, chegou a ficar hospedada em um hotel em Nova Erechim por três dias para fugir das ameaças.

Maria Arlete conta que esteve com o ex-genro em duas oportunidades. Na segunda vez em que frequentou a casa, ele teria denunciado a ex-sogra à polícia por invasão de propriedade.

“Fui na casa deles duas vezes. Na primeira vez ele me tratou bem. Na segunda vez em que estive lá ele me colocou na delegacia dizendo que tinha invadido a casa deles. Teve uma momento que ele me ligou pedindo para ir para lá porque ela estava tendo depressão”, relata a mãe da vítima.

A jovem tinha 21 anos e deixa uma filha de 3 anos. – Foto: Reprodução/Facebook

Prisão preventiva

Após cometer o crime o homem fugiu, porém localizado pela Polícia Civil em um bar situado às margens da BR-282, em Xaxim. De acordo com a PM (Polícia Militar), ele só foi encontrado porque os policiais foram acionados para atender uma ocorrência de perturbação de sossego no local.

Ao ser ouvido na Delegacia, o homem foi liberado ainda no mesmo dia do crime. Porém, na manhã de segunda-feira (9), ele foi preso preventivamente pelo crime de feminicídio. Conforme o delegado da DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso) da Comarca de Coronel Freitas, responsável pelo caso, Maiko Frank Vivi, o suspeito foi conduzido ao complexo prisional de Chapecó, onde permanece à disposição da Justiça.

“O suspeito vai responder pelo crime de feminicídio com aumento de pena por ter descumprimento da medida protetiva e na presença de descendentes, no caso a filha de 3 anos, além de ser um crime hediondo”, explica.

O homem possui 15 passagens pela polícia. Ainda segundo o delegado, a filha do casal foi acompanhada pelo Conselho Tutelar e está na casa de familiares da vítima.

Fonte: ND+

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui