https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

Moradores da rua Francisca dos Santos Souza, no bairro Humaitá de Cima, em Tubarão, estão com receio após avistarem jacarés de tamanhos médio e grande em um valo que acompanha uma das margens da via.

Anunciante do CNT

Os animais apareceram nos últimos dias e, conforme a moradora e administradora de empresas Gislaine Menegaz, há um terceiro réptil da espécie ainda maior e que vem assustando a comunidade, já que há dezenas de crianças que moram à beira deste valo. “Muitas vezes já vimos perto da estrada e temos receio que possam atacar alguém. Há uma obra de um novo loteamento nas redondezas e acreditamos que esta movimentação fez com que eles aparecessem mais perto das casas”, aponta Gislaine.

Anunciante do CNT

Conforme outra residente na rua, uma moradora e mãe de duas crianças pequenas já entrou em contato com a Fundação Municipal do Meio Ambiente (Funat) de Tubarão, mas eles informaram que a responsabilidade de captura dos jacarés é da Polícia Militar Ambiental (PMA) de Laguna, que também foi contatada e pediu para que lhes fossem encaminhado um e-mail detalhando a situação. A correspondência eletrônica foi mandada no último dia 6 e até agora não houve resposta ativa da corporação lagunense. Gislaine respondeu à reportagem do CNT afirmando que ligou para a PMA nesta segunda-feira (17), cobrando uma solução. “Disserem-me que não podiam fazer nada, pois não têm equipamentos para pegar os animais”.

Anunciante do CNT

Confira o texto do e-mail enviado no dia 6 de agosto:

“Bom dia, sou moradora do bairro Humaitá de Cima, município de Tubarão. Onde moro existe uma vala que corta um terreno, que fica desde a rua São João até a avenida Patrício Lima e Rodovia SC-370, no bairro São Martinho. O motivo do meu contato é que há alguns dias, nós, moradores, fomos surpreendidos com a visita ilustre de jacarés na vala. Já está virando atração na vizinhança, as crianças estão indo até o local para ver os animais. O acesso a esta vala não tem restrição nenhuma, o cercado deste terreno é só até um pedaço. O problema maior é que o terreno está sendo loteado por uma empresa e temos medo de que, com o avanço das obras, os animais acabem acuados e indo parar nas nossas residências, que são muito próximas ou até ocorrer algum acidente com as crianças que estão ali vendo estes animais”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui