https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

Lideranças da sociedade civil organizada, como o presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Paulo Roberto Weiss, lutam para trazer a Coronavac ao Estado barriga-verde. Weiss vai a São Paulo nos próximos dias para assinar um protocolo de intenções com o Instituto Butantan, o qual credencia os municípios catarinenses ao acesso à vacina. Nas duas últimas semanas, a Federação Catarinense e o governo paulista mantêm tratativas para o acordo, faltando, agora, a assinatura entre as partes.

Anunciante do CNT

A Fecam quer garantir que o Estado de SP faça a previsão de fornecer a vacina a Santa Catarina após a aprovação de uso pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que os municípios e os consórcios públicos possam adquirir e iniciar a imunização. A Fecam reforça que o protocolo coloca as prefeituras catarinenses na previsibilidade de, quando a vacina estiver disponível no Brasil, possam comprar as doses do imunizante.

Anunciante do CNT

Para o presidente da Fecam, é importante agilizar o acesso a vacina, imunizar as pessoas o quanto antes e a conviver com o vírus com mais segurança. Para isso, destaca que é preciso da parceria e do envolvimento do Governo do Estado na manifestação de interesse pela vacina. “Temos uma série de setores que precisam voltar as atividades, ativando a economia, além de um ano letivo em 2021 que é necessário para que as crianças e os estudantes voltem as salas de aula e ao convívio social”, destaca Paulo Weiss.

Anunciante do CNT

A Coronavac está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria do Instituto Butantan/SP. A vacina está em sua fase III de desenvolvimento no país, que é a última etapa de estudo antes da obtenção do registro sanitário e a disponibilização para a população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui