https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

Surpreendendo os integrantes da CPI, ex-superintendente de gestão administrativa da Saúde Marcia Regina Geremias Pauli, afirmou que o governador do Estado mentiu sobre como funcionava o processo de compra dos equipamentos.

Anunciante do CNT

A comissão parlamentar de inquérito ouviu ontem (02/06) a ex-secretária de gestão administrativa da Saúde catarinense, que manteve a afirmação que responsabiliza o ex-secretário de Estado da Saúde Helton Zeferino, que presidia o (COES) Centro de Operações de Emergência em Saúde, pela aquisição dos 200 respiradores da empresa Veigamed. Segundo ela, a decisão foi do secretário levando em conta o prazo de entrega para o período entre 5 a 7 de abril, respondendo ao relator da CPI, deputado Ivan Naatz (PL).

Anunciante do CNT

Quando perguntada sobre a responsabilidade da compra, pelo deputado João Amin (PP), Marcia foi novamente taxativa, “a negociação foi fechada dia 26 de março pelo secretário Helton, afirmando ainda que “foi um erro” a estratégia de gerir a crise do coronavírus no COES.

Anunciante do CNT

A grande surpresa para os integrantes da CPI foi quando a testemunha afirmou que o governador do Estado, Carlos Moisés mentiu quando disse, em entrevista à imprensa, que não sabia como funcionava o processo de compra dos equipamentos. “Ele faltou com a verdade” afirmou, porque todos sabiam como era o procedimento. A partir de 12 de março as reuniões eram diárias, com os superintendentes ligados à Secretaria da Saúde, os representantes dos Conselhos de Municípios, e de outras áreas. Tudo era discutido e dali saiam as bases para as ações e o governador tinha total conhecimento de tudo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui