https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT


A governadora Daniela Reinehr editou um novo decreto (nº 1.255/2021) nesta sexta-feira (23) que traz novas medidas  de combate à Covid-19 em Santa Catarina. O documento é válido até 30 de abril e dentre algumas das  principais mudanças, está a autorização para permanência de pessoas em espaços públicos abertos, como praias, parques, já a partir desta segunda-feira (26).
“O decreto  traz prazo para a publicação de portarias sanitárias com o regramento específico para o convívio mais seguro nestes ambientes”, salienta a secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto. Os demais regramentos previstos no Decreto 1.218 foram prorrogados para 30 de abril.

Anunciante do CNT

Mais outra mudança nas regras é a permissão de funcionamento de estabelecimentos como restaurantes, bares, pizzarias, sorveterias e afins das 6h às 22h. A decisão dá uniformidade aos horários definidos para os demais serviços de alimentação.
A liberação está dentro das normas e acompanha o cumprimento de protocolos sanitários  deixando bem claro que não permite aglomerações. A governadora afirma que o acompanhamento diário do cenário epidemiológico e as medidas restritivas contribuíram para que fossem feitos ajustes nas normas vigentes.
Todos nós sabemos que temos um grande percurso pela frente, mas não podemos ignorar os importantes indicadores. 

Houve um aumento de 75% na aplicação de doses nas últimas três semanas”, salientou. Em Santa Catarina, já foram aplicadas 1.463.434 doses da vacina contra a Covid-19 na população dos grupos prioritários, das quais 990.324 foram a primeira dose e 473.110 a segunda, conseguimos diminuir o número de mortes em 33,5% e a fila de espera por leitos de UTI em 75%. Santa Catarina apresenta o 4º maior índice per capita de vacinados considerando a primeira e a segunda doses.  

Anunciante do CNT


Já para o Comércio varejista também a novidades:
A mudança imediata, que passou a vigorar já nesta sexta-feira (23), é da inclusão do comércio atacadista de produtos têxteis na lista de atividades essenciais. 
Segundo a Superintendência de Vigilância em Saúde, a medida se fez necessária por ser restrita aos produtos têxteis provenientes do ramo industrial, que são fundamentais para abastecer toda a cadeia de comércio varejista e para promover o escoamento da produção da indústria. A mudança também abrange estabelecimentos como os atacados e shoppings

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui