https://www.cnttubarao.com.br/wp-content/uploads/2021/01/web-banner-IPTU-2021_CNT.jpg
Anunciante do CNT

A Prefeitura de Capivari de Baixo, por meio da Secretaria de Saúde e Vigilância Epidemiológica, iniciou, nesta segunda-feira (21), mais uma fase de vacinação contra a Covid-19. Desta vez, as gestantes, puérperas e lactantes sem comorbidade poderão se imunizar, além de mais um grupo de caminhoneiros aplicações de segundas doses a pacientes previamente já protegidos com a primeira e aos acamados (residencial).

Anunciante do CNT

A campanha ocorre durante esta semana – menos na quinta-feira (24), feriado municipal – e, conforme o novo cronograma vacinal, a proteção ganhou ritmo ainda mais acelerado no município. 

Anunciante do CNT

Nesta segunda (21), terça (22) e quarta-feira (23), das 8h às 11h30 e das 13h15 às 15h30, ocorre a aplicação da primeira dose a caminhoneiros, pessoas de 50 a 59 anos, gestantes, puérperas e lactantes de até seis meses, e segundas doses a pacientes previamente vacinados. 

Anunciante do CNT

Na sexta-feira (25) segue a vacinação no horário e público-alvo citados, mas será incrementada, neste dia, a imunização de pessoas acamadas (1ª e 2ª doses).

Esses são, conforme notas técnicas do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, grupos prioritários. O calendário por idades deverá ser retomado a partir da próxima semana, ainda com data concreta a ser definida. 

Todo processo está agendado para a Estratégia Saúde da Família (ESF) Centro II, na rua João Ernesto Ramos, 110, na sala de vacina anexa ao posto, ao lado da Rádio 102 FM (referência).

“Pedimos que o capivariense siga os cronogramas e, nos grupos prioritários, atentem-se às documentações necessárias para receber as doses. É importante frisar que os beneficiados são pacientes cadastrados no município, que moram aqui. É preciso levar o cartão do SUS, RG e comprovante de residência. Queremos proteger todos os adultos com as duas doses ainda em 2021”, planeja a secretária de Saúde da prefeitura, Andréa Paes.

Os profissionais da Vigilância Epidemiológica sublinham que não adianta tomar só a primeira aplicação e deixar a segunda para trás, como vem ocorrendo com alguns pacientes, inclusive idosos, que são do principal grupo de risco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui